Workshop de escrita e representação de solos de teatro

Workshop de escrita e representação de solos de teatro. Escrever solos para depois os representar num mundo que está a acabar muito depressa. Se só tivéssemos 4 minutos para salvar o mundo, que solo de teatro é que escreveríamos?

Por aqui vai ser possível trabalhar a escrita de pequenos solos através de exercícios e técnicas de monólogos. Vale tudo, desde que em pequenos formatos e que seja depois representado por quem os escreveu.

Ao longo de várias sessões vamos escrever para depois fazer em cena. No fim do workshop faremos uma apresentação ao público com todas as peças de todos os intervenientes. Cada autor representará a sua peça. Ser autor e intérpretes. E encenadores de nós mesmos. Um três em um.

Destinado a dramaturgos/actores/encenadores.

Duração: 2 meses / 1 sessão por semana, total de 8 sessões

Local: http://ruadasgaivotas6.pt

Segundas-feiras 19h30-21h30

Jan ( 9, 16, 23, 30) – Fev (6, 13, 20)

Apresentação – 27 Fev

Preço: 60 euros

Tópicos:

O que é um solo? Escrever vs Interpretar.

Escrever com tempo. Uma peça de 5 minutos. Uma peça de 1 minuto.

Escrever por personagens.

Escrever por adereços. Por tema, por modas. De trás para a frente.

O Actor André Murraças

Nasceu em 1976. É Licenciado em Realização Plástica do Espectáculo, da Escola Superior de Teatro e Cinema, e acabou com distinção o Master of Arts in Scenography da Hogeschool voor de Kunsten, em Utrecht, na Holanda. Teve ainda formação com Simon Stephens, Jorge Silva Melo, David Harrower, William Forsythe, Thomas Lehmen, Jan Ritsema e Rebecca Schneider.

Foi autor e intérprete do programa de rádio O Rapaz do Calendário, na Radar.

Foi encenador, dramaturgo, cenógrafo e intérprete de Santos e Pecadores, Teatro Noir, Sex Zombie – a vida de Veronica Lake, Um Passeio, Hollywood, One Night Only – uma rádio-conferência, Um Marido Ideal, Louis Lingg, Pour Homme, Swingers, As Peças Amorosas e As Palavras São o Meu Negócio.

Encenou, escreveu e cenografou ainda as peças 50. Orlando, ouve; Os Pássaros, Cândida – uma história portuguesa, Três Homens Sós, Film Noir, Os Inconvenientes, CinemaScope. É ainda autor dos textos Miss Portugal, Todas as Noites a Mesma Noite e O Espelho do Narciso Gordo.

Concebeu também os espectáculos Variações Pop-Up Disco, Lisboa – o que o turista deve ver, Experiência Variações e Untitled – uma peça para galeria. Colaborou como cenógrafo com os encenadores Carlos Afonso Pereira, Miguel Romeira e Pedro Wilson. No cinema, foi dirigido por João Pedro Rodrigues. Trabalhou ainda com o designer Miguel Rios e com o artista plástico Ricardo Jacinto no lançamento de System 2k07.

Ganhou por três vezes o prémio «O Teatro na Década», do CPAI, e representou Portugal por duas vezes na Bienal de Jovens Criadores da Europa e Mediterrâneo, nas áreas de teatro e de literatura.

Tem diversas peças e contos publicados e colaborou com revistas e jornais.
Depois de alguns anos como redactor publicitário, iniciou um percurso como guionista de televisão, integrando as equipas de escrita das telenovelas Mar de Paixão (TVI) e Rosa Fogo (SIC), esta nomeada para um Emmy.

É o argumentista e realizador da websérie Barba Rija.

A revista Mini Internacional considerou-o um dos mais interessantes autores da sua geração.