“Translating Flavours”

Quando, na terça-feira, entrámos no MISS JAPPA, em pleno Príncipe Real, não esperávamos esta grande surpresa. Pensámos que era mais um sushi com boas referências, mas, mais um!

Durante todo o jantar. percebemos que não era mais um restaurante japonês, devido à carta e propostas como também pelo serviço de cocktais. Cuidado com o “Tokyo Garden”, é terrível de bom!

De facto, personifica assim a cultura actual do Japão, onde as tradições se rompem para a modernidade, traduzindo um imaginário muito mais pop e urbano, tal como os bairros citadinos de Tóquio, que dançam entre os cartoons manga e uma imagem mais tradicional. Também por isso, o MISS JAPPA dá primazia às mulheres, coisa rara na cozinha japonesa, ao contar com a conceituada Chef Anna Lins, a primeira mulher portuguesa certificada pelo All Japan Sushi Association, para transpor o conceito para a mesa.

No espaço, o néon vermelho contrasta com a simplicidade das mesas de madeira polida e paredes verde-água. Uma boneca MISS JAPPA, vinda propositadamente de Tóquio, esvoaça sobre uma das mesas, numa instalação do artista plástico Filipe Pinto Soares, vestida por Graça Martins, da ‘Bainha de Copas’. Há ainda uma agradável esplanada nas traseiras do espaço, com uma parede repleta de pequenas flores verdes e um aquecedor que aconchega nos dias frios.

“Translating Flavours” é a assinatura da carta que interpreta os sabores japoneses de uma forma muito própria. Introduz detalhes nas receitas tradicionais e apresenta pratos diferentes e originais. “Respeitámos a autenticidade e simplicidade das técnicas de cozinha japonesas e, com os melhores ingredientes, criámos receitas que acreditamos serem surpreendentes na forma e nos sabores”, adiantam Joana e Diogo Martorell.

Pensada para ser partilhada e promover diferentes sabores, a carta do MISS JAPPA vai além do sushi. Divide-se entre junk food, sushi, conceitos clássicos de cozinha japonesa e, em oposição, pratos “fora-da-caixa” denominados ‘Atarashi’ ou ‘New Timers’. Destacam-se a Vieira em Sashimi, o Ceviche de Mexilhão, o Ramen de Camarão, Corvina, Espinafres, Courgette Grelhada e Ovo e o Okonomiyaki (uma panqueca de couve na chapa com camarão, maionese de tonkatsu e lascas de atum seco). A não perder também o Tataki Negro, o Tártaro in a Box, o Cachaço de Porco com Bao e qualquer uma das sobremesas.

“Para mim, esta carta tem uma aproximação à cozinha japonesa muito fresca e actual, as divisões têm mais a ver com estados de espírito do que com o paladar do cliente: um grupo de amigos vai sair ao Bairro Alto e, provavelmente, estará mais inclinado para junk food e sushi, mas num almoço com um colega de trabalho provavelmente pediria um Ramen ou um Cachaço na Chapa”, explica a Chef Anna Lins, que confessa ter “incorporado na ementa alguns ingredientes pouco usuais no ocidente para haver uma aculturação do paladar e do conhecimento dos sabores orientais”.

No bar, o sakê é a grande aposta, mas também a bebida de eleição japonesa é reinterpretada ao servir de base para alguns dos cocktails apresentados, numa lista a cargo de Dave Palethorpe – proprietário do conhecido bar ‘Cinco Lounge’. Scarlett (com abacaxi macerado, sumo de limão, sakê e lemon zest), Miss Jappa (Puré de líchias, sakê, limoncello e campari), ou Tokyo Garden (com lemongrass, lima, gengibre, Tanqueray gin, coentros, ginger ale e folha de hortelã), são alguns dos cocktails para provar. Há também sakégria (sangria de frutos vermelhos ), chás frios e quentes para acompanhar as refeições ou petiscar.

Descontraído e acolhedor, o ambiente do MISS JAPPA é para ser vivido entre amigos ou família, inspirando a cultura japonesa enquanto se toma um aperitivo ao final do dia, ou se desfruta de uma saborosa e autêntica refeição ao jantar. Com naming, conceito, marca e peças de comunicação desenvolvidas pela agência Born, o MISS JAPPA é um hanko, um selo pessoal de identificação do Japão, com uma assinatura que remete para o universo distante da verdadeira cultura japonesa que a marca torna mais próxima.

Horário:

Terça-feira a quinta-feira: 12h30 – 15h00 / 19h00 – 24h00 Sexta-feira: 12h30 – 15h00 / 19h00 – 01h00
Sábado – 12h30 – 01h00
Domingo – 12h30 – 24h00

Encerra à segunda-feira.