Uma casa cheia de História

Se uma casa nobre tem uma linha de sangue que a permite continuar no tempo, também possui figuras que ultrapassam a própria História e as estórias familiares. Aqui, a Casa de Alorna fica marcada pela figura incontornável da Marquesa de Alorna (Leonor de Almeida Portugal de Lorena e Lencastre).

Vítima como toda a sua família por parentesco de um processo infame (caso dos távoras) retorna aos vinte sete anos para sua casa e continua a ser um exemplo para as mulheres letradas (poucas) na sua época.

Foi com esta imagem na memória que fomos visitar a casa de Alorna nas suas várias valências. Depois da visita podemos provar uma selecção dos vinhos produzidos ali, donde se demarcam, sem dúvida, os vinhos Marquesa de Alorna (branco e tinto) que sendo o topo da produção mostram bem a sua extrema qualidade.

A Quinta da Alorna é uma empresa familiar, produtora de vinhos, situada na margem do Rio Tejo, em Almeirim, que se destaca não só pela qualidade dos vinhos que produz, como também pelos seus espaços naturais. Além da viMvinicultura, a Quinta da Alorna aposta noutras aMvidades como a agricultura, floresta, centro equestre e produção de energia.

Actualmente, a Quinta da Alorna é administrada pela quarta e quinta gerações da família Lopo de Carvalho e composta por três empresas, sendo estas: a Sociedade Agrícola da Alorna, detentora das outras empresas do grupo e responsável pelas actvidades agrícola e florestal; a Quinta da Alorna Vinhos que desenvolve a principal aMvidade do grupo, a produção e comercialização de vinhos; e a Alornatur que faz a gestão da loja de vinhos própria, em Almeirim e do Palácio da Quinta.

Com uma produção média anual na ordem dos 1,85 milhões de litros, os vinhos da Quinta da Alorna são feitos a partir de uma selecção das melhores castas e produzidos com recurso às novas tecnologias de vinificação.

Os 220 hectares de vinha divide-se em várias castas, a Quinta da Alorna produz vinhos com a qualidade, excelência e competitividade que os mercados nacional e internacional exigem.