Prémio Hugo Boss para a arte Contemporânea

PaulChan-PlowHighness
Cada vez as marcas de moda desejam associar-se ao mundo da arte, não é estranho pois o design de moda é uma arte e a sua relação é algo inseparável! Nesse sentido, nasceram fundações, prémios e apoios aos artistas de arte contemporânea.

 

Por isso, hoje, dia 6 de Março, inaugura a exposição do “Hugo Boss Prize 2014: Paul Chan, Nonprojections for new lovers”  e estará em exibição no Museu Solomon R. Guggenheim, em New York, até 13 de maio de 2015.  O artista Chan foi anunciado como o décimo artista a receber HUGO BOSS PRIZE a 20 de novembro de 2014.

A exposição será a primeira apresentação em solo Norte-Americano da colecção do artista plástico Chan “Nonprojections”, que lançou em 2013.  Além disso, a exposição também vai incluir “Tetra Gummi Telephone”, uma obra de 2015, que sinaliza uma nova direcção na prática do Chan: descrito pelo artista como uma animação escultural, esta composição de tecido de nylon branco posta em movimento por ventiladores industriais evoca uma aparição sobrenatural.

O artista de Nova York é reconhecido pela sua acção multifacetada e muitas vezes experimental de trabalhos que incluem projecções animados, performances baseadas na comunidade, tipos conceituais e publicação digital e impressão.

Lançado em 1996, o HUGO BOSS PRIZE é concedido a cada dois anos a um artista cujo trabalho contribuiu de forma significativa para a arte contemporânea.
Desde a sua criação, o prémio foi atribuído a Matthew Barney, UK (1996), Douglas Gordon, Escócia (1998), Marjetica Potrc, Eslovénia
(2000), Pierre Huyghe, França (2002), Rirkrit Tiravanija, Tailândia (2004), Tacita Dean, UK (2006), Emily Jacir, Palestina (2008), Hans-Peter Feldmann, Alemanha (2010) e Danh Vo, Vietnam (2012). O prémio que traz consigo 100.000 dólares, é administrado pela Fundação Solomon R. Guggenheim.