Agenda Cultural 25.09.2014

© José Frade  EGEAC EEM - ODE MARITIMA
© José Frade EGEAC EEM – ODE MARITIMA

ODE MARÍTIMA de Álvaro de Campos

Por Diogo Infante (texto) e João Gil (música)

Diogo Infante interpreta a “Ode Marítima”, um dos poemas mais marcantes (e delirantes) de Álvaro de Campos (a par da “Ode Triunfal”), e assume o comando de um paquete que nunca chegou a entrar no cais

É notória a decadência como sensação na “Ode Marítima”, a qual se afigura como soturna e debruçada sobre si mesma. Apesar disso, é um poema marcado pelo ritmo rápido e agitado, refletido num “volante” que é mencionado 11 vezes no poema. A velocidade cresce lentamente até atingir um clímax, abrandando no final.

O filósofo e Pessoano José Gil, considerava Álvaro de Campos como o “poeta do quotidiano metafísico”: a partir do mais insignificante pormenor cria um poema capaz de conter a vida e a morte. É precisamente o que acontece na “Ode Marítima”: a visão longínqua de um paquete, ignorado pela maior parte dos homens, é suficiente para construir uma monumental ode em que se insinuam todos os pontos relevantes da sua “filosofia”.

Num momento em que a «Obra Completa de Álvaro de Campos» chega às livrarias pela Tinta da China, dá-se a feliz coincidência da reposição desta peça no São Luiz. Por outras palavras: mais uma oportunidade que Diogo Infante nos oferece de podermos “sentir tudo de todas as maneiras”.

Teatro São Luiz

Rua António Maria Cardoso, 38

4ª a sábado às 21h; domingo às 17h30

De 25 setembro a 4 outubro

Preço: €12 a €15 (com descontos: €4 a 10,50)

(c) Jorge Gonçalves - GATA EM TELHADO DE ZINCO QUENTE
(c) Jorge Gonçalves – GATA EM TELHADO DE ZINCO QUENTE

GATA EM TELHADO DE ZINCO QUENTE

De Tennessee Williams

Jorge Silva Melo (encenação)

Brick e Margaret vivem um casamento ensombrado pelo álcool, pela ausência de filhos, por mistérios e por mentiras. Na mansão dos Pollitt prepara-se a festa de aniversário do patriarca, que acaba de sair do hospital. Durante a noite, tanto Big Daddy como Margaret indagam da relação de Brick com Skipper, seu companheiro de futebol que se terá suicidado pouco tempo antes e cuja morte parece ser a fonte do alcoolismo de Brick.

Cansado das mentiras que inundam a sua vida, Brick revela ao pai a doença que lhe diagnosticaram, um cancro fatal. Enquanto o irmão de Brick e a sua mulher Mae discutem a herança depois da inevitável morte do pai, Big Daddy e Brick encontram-se para uma conversa final. Todas as personagens vivem uma mentira. E, na conclusão, é mais uma vez uma mentira (a possível gravidez de Maggie) a abrir os horizontes da família.

Artistas Unidos

Interpretação: Catarina Wallenstein, Rúben Gomes, Américo Silva, Isabel Muñoz Cardoso, João Meireles, João Vaz, Tiago Matias, Vânia Rodrigues, Rafael Barreto, Inês Laranjeira e Margarida Correia

Centro Cultural de Belém

25 a 30 setembro

5ª a 3ª às 21h, domingo às 16h

Preço:11€ a 13,5€

literatura-viagemCURSO DE ESCRITA DE VIAGENS

Por Tiago Salazar

“Este curso destina-se a toda a classe de viajantes, da económica à executiva, dos turistas de sofá aos andarilhos radicais, dos que preferem fazer quilómetros em linhas de papel a embarcar numa estação ou apeadeiro. Aqui não se requer taxas de aeroporto nem se cobra excesso de bagagem. Basta a vontade de chegar aos outros, e sobretudo a disponibilidade do olhar”.

Conteúdos do curso:

– História abreviada da literatura de viagens

– Autores portugueses do século XVI aos nossos dias

– Considerações teóricas e técnicas de escrita

– Escrita e Fotografia no terreno

– As fases da escrita (do bloco de notas até ao livro)

– 1ª linha: uma questão do pensamento-sentimento

– Progressão e desenlace

– O que não é a escrita de viagens

– O improviso é premiado

– Escrita, reescrita e revisão (a arte de contar o que se viveu para contar)

– Os três “tês”: técnica/talento/trabalho

– Problemas, erros, sintaxe

– Recursos (notas bibliográficas, sites, blogues, etc)

– A fotografia de viagem

O plano de trabalho proposto é o seguinte:

História da Literatura de Viagens (objectivo: divulgação da literatura de viagens, grandes autores do mundo: considerações sobre as obras de Heródoto, Gustav Flaubert, Henry Miller, Lawrence Durrell, Orhan Pamuk, entre outros)

Autores portugueses do século XVI aos nossos dias (objectivo: história das grandes narrativas de viagens em língua portuguesa; considerações sobre as obras de Fernão Mendes Pinto, Ramalho Ortigão, Eça de Queiroz, Raul Brandão, Ferreira de Castro, entre outros)

Considerações técnicas da escrita de viagens (objectivo: como se escreve um texto de viagens? da narrativa à crónica, da reportagem à poesia)

A fotografia de viagem (objectivo: noções básicas de fotografia de viagens; o retrato; paisagens)

Espaço Pessoa & Companhia

Calçada de Santana, 177

4 e 5 de outubro, das 10h30 às 14h

Preço: 30€l

pessoaecompanhia@gmail.com