2ª Conferência na Trindade – 2014

Jose_Frade_26361_J_460x260

Sempre me pareceu importante a educação para as artes, especialmente aquelas que parecem menos aproveitadas em Portugal. O teatro, cujo o dia celebramos há pouco, é a arte de espevitar as consciências e recordar metas de vida e exemplos de acção. Tal como nas tragédias gregas, são sempre pedaços de estórias e histórias. Neste sentido, estas conferências tentam preservar uma memória do teatro e, de modo especial, o Teatro da Trindade.

É já dia 8 de Abril, a segunda sessão das Conferências do Trindade | 2014,  ciclo dedicado à história cultural e artística do Teatro da Trindade que focará aspectos como a arquitectura, o dispositivo cenotécnico, a programação e a ligação ao Chiado do Trindade, desde que foi inaugurado em 1867.

O teatro, enquanto espaço público privilegiado da convivialidade burguesa e consequentemente da opinião e gosto burgueses, atravessa o romance oitocentista em geral e o queirosiano em particular. De entre os teatros que povoam a ficção do autor, o Teatro da Trindade ocupa um lugar muito especial quer num famoso episódio d’Os Maias, quer na abertura d´A tragédia da Rua das Flores, que reza assim: “Era no Teatro da Trindade….”

“Era no Teatro da Trindade…” será o mote para a partir de cenas das narrativas de Eça de Queiroz que se desenrolam em espaços teatrais e particularmente no Teatro da Trindade, refletirmos quer sobre a percepção estética das funcionalidades socio-culturais do teatro no séc. XIX, quer sobre a arte do romance de nosso autor.

Para além da prof. Isabel Pires de Lima (e do prof. Duarte Ivo Cruz que abriu o ciclo) participarão ainda nesta iniciativa do Projeto Comunidade do Teatro da Trindade, o arquiteto Luis Soares Carneiro, o olissipógrafo José Sarmento de Matos, o investigador Nuno Domingos, o cenógrafo e aderecista José Carlos Barros e o Prof. Guilherme D’Oliveira Martins (conferência sobre a importância da cultura na vida política e económica contemporânea).

Isabel Pires de Lima, especialista na obra de Eça de Queiroz, é Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Investigadora do Instituto de Literatura Comparada ML/FCT (Ministra da Cultura do XVII Governo Constitucional de Portugal) .

Salão Nobre .  terça, 8 Abril . 18h30 . ENTRADA LIVRE