Dielmar – uma marca portuguesa com força

13275_10151438958284580_883730828_nUm ar sexy, de robustez, é o ponto focal para o homem Dielmar, que adopta o espírito boémio e criativo de um viajante moderno. Um playboy cosmopolita que recupera e ostenta elementos tradicionais, um pouco ao estilo Downtown Abbey, onde os termos vintage e retro são recorrentes. Esta marca portuguesa apresenta para esta estação, uma colecção marcante cheia de vigor que deseja transmitir a cada homem português.

68535_10151438959474580_1359647595_n

Quanto aos materiais, escolheu todos os tecidos de aspecto gasto e envelhecido: lãs lavadas e cozidas, simples ou em misturas e com tingimentos inéditos, jerseys, tweeds e nattés. Shetlands e veludos estampados ajudam a criar um look vintage e de luxo retro. A lã mistura-se com a cachemira, para efeitos semi-brilho ou em versões super 130’s e super 150’s, em fatos de construção tradicional.

Afirmam-se os cotelê em 8, 12 e 14 canas de aspecto usado e lavado. Superfícies escovadas e desgastadas aparecem para criar um visual aconchegante e confortável, em peças com vida e história.

Regressa o velho mundo do xadrez tartan tradicional e dos padrões ingleses. Acabamentos de flanela e de saxony são fundamentais para reafirmar uma tendência, onde os aspetos old tendem a ter mais textura e genuinidade. O couro e a camurça tornam-se fundamentais para construir o look ao nível do detalhe.

Para complementar a colecção impõe-se o colete, como acessório fundamental, para recriar o lado mais dandy da silhueta. Misturam-se motivos, cores, materiais e texturas. Os acessórios de tricot ganham destaque em gravatas e lenços de peito.

546056_10151438958564580_1772033020_n

A paleta geral de cores constrói-se entre uma gama de tons neutros e mais frios e outra de tons quentes e naturais, criando um ambiente tradicional de outono, onde as cores dos frutos e bagas aquecem os tons mais frios de cinza névoa e ardósia. Azuis-marinhos, noite e pavão, verdes floresta e oliva e castanhos antigos misturam-se com tonalidades de abóbora e laranja, ferrugem e cobre, mostarda e bagas silvestres.